My Best Hotel
Hoteis Turismo Rural Alojamento Local Hostels Campismo Atividades Restaurantes A Visitar Promoções

Ofertas Especiais

Locais a visitar » MADEIRA, a Ilha dos Amores!

MADEIRA, a Ilha dos Amores!

No meio do Atlântico, as ilhas da Madeira e do Porto Santo são um refúgio de beleza natural. Entre o azul do mar e o verde-esmeralda da vegetação sobressai o colorido exótico das flores, num arquipélago em que dois terços são área protegida e onde se encontra a maior floresta laurissilva do mundo.

A temperatura primaveril que se sente o ano inteiro convida à prática de atividades ao ar livre. Podem fazer-se passeios a pé aproveitando a rede de percursos pelas levadas, visitar a cidade do Funchal e ficar a conhecer o património ligado à época dos Descobrimentos ou percorrer livremente a ilha. Os passeios de barco são uma excelente opção para apreciar a orla marítima e ter uma perspetiva diferente.

Num ambiente naturalmente acolhedor, equilíbrio e bem-estar são referências habituais. A Madeira oferece vários complexos balneares e acessos ao mar com boas condições para a náutica de recreio e para o mergulho. A ilha de Porto Santo, em particular, é o local ideal para fugir ao stress e fazer um programa de talassoterapia. Ou umas férias de praia combinadas com umas partidas de golfe.

As festividades ao longo do ano são ocasiões para apreciar os sabores tradicionais da gastronomia e ver a Madeira em festa, com destaque para os desfiles de Carnaval, a Festa da Flor, o Festival Atlântico e, sobretudo, o fogo-de-artifício do fim de ano.

Um bom clima e a beleza natural fazem do arquipélago da Madeira uma escolha segura para visitar em qualquer altura do ano. Para além dos passeios na natureza, das atividades ao ar livre e de uma volta pela ilha, não deixe de fazer um itinerário pela cidade do Funchal.

 

À DESCOBERTA DO FUNCHAL

Em qualquer altura do ano, o Funchal com o seu clima ameno, é o destino ideal para umas miniférias. São muitos os locais a visitar nesta cidade com mais de 500 anos de existência e, alguns, são mesmo a não perder…

A melhor forma de visitar o centro histórico da cidade do Funchal é fazê-lo pé. O passeio tem início na , de estrutura gótica erguida no século XVI. Ao entrar, devemos olhar para cima para admirar o precioso teto de alfarge, em madeira de cedro trabalhada ao gosto mudéjar. A visitar também a Igreja do Colégio, com a fachada sóbria a esconder um exuberante interior rico em talha dourada, retábulos e painéis de azulejaria do século XVII.

Do lado oposto do Largo do Município, no antigo Paço Episcopal, está o Museu de Arte Sacra, de cuja coleção se destaca o núcleo de arte flamenga dos séculos XV-XVI, testemunho dos contactos comerciais com a Flandres, para onde era vendida a cana-de-açúcar cultivada na ilha. Para provar esse e outros sabores locais, no Mercado dos Lavradores, teremos muito com que ocupar os sentidos: das frutas exóticas às delícias tradicionais como o bolo de mel, sem esquecer as lojas de artesanato, as vendedoras de flores trajadas a rigor e as animadas bancas de peixe.

Seguimos pela cidade velha, até ao Forte de São Tiago, onde está instalado o Museu de Arte Contemporânea. Podemos conhecer os produtos mais apreciados da região nos Museus do Bordado e do Vinho. É aqui que ficamos a saber tudo sobre as lindíssimas peças de bordado delicado, e sobre o vinho licoroso que ganhou fama nos séculos XVII e XVIII, sendo muito apreciado nas cortes europeias.

A não perder uma ida à Praça do Mar, e visitar a estátua e Museu CR7, em homenagem ao futebolista internacional português, Cristiano Ronaldo. O reconhecimento mundial de Cristiano Ronaldo projeta o Destino Madeira para um potencial público ao nível planetário e uma justa homenagem a um madeirense que nunca renegou as suas origens. O Museu CR7 é um museu português onde está retratada a história do futebolista português Cristiano Ronaldo e que se situa numa das principais zonas turísticas da cidade do Funchal

Para rematar este itinerário sugerimos uma visita à vila da Camacha, a apenas nove quilómetros do Funchal, bem conhecida pelo artesanato em vime e pelo folclore. Destaca-se a dança tradicional da região - o animado “Bailinho da Madeira”, cujo ritmo é marcado pelo “brinquinho”, uma curiosa peça de artesanato. Podemos assistir a uma exibição ao vivo, enquanto jantamos num restaurante típico, saboreando especialidades gastronómicas como a espetada em pau de louro com milho frito. Uma delícia!

 

VOLTA À ILHA DA MADEIRA

Apesar de ter uma superfície pequena, a Madeira é rica em cenários majestosos e de rara beleza. A melhor forma de conhecer os seus encantos, é alugar um carro e partir à descoberta deste jardim flutuante!

Saindo do Funchal para oeste, descobrimos a típica vila piscatória de Câmara de Lobos e o Cabo Girão, o mais alto promontório da Europa e o segundo mais alto do mundo - 580 m.

Encontramos ainda neste concelho a peculiar freguesia do Curral das Freiras. Situada num vale profundo, o Curral das Freiras apresenta uma das paisagens mais impressionantes da ilha que, com as suas vistas vertiginosas (mais de 500 metros de altura, do miradouro - Eira do Serrado), causam admiração a qualquer visitante.

Continuando para oeste, visitamos a Ribeira Brava antes de subir até à Encumeada num percurso recheado de miradouros. Outra alternativa é seguir em direção às costas soalheiras da Ponta do Sol e da Calheta, onde não faltam zonas balneares que convidam a banhos e muitos mergulhos. Podemos ainda visitar o Centro de Artes Casa das Mudas, que ao longo de todo o ano apresenta um extenso programa cultural. Para os mais desportistas, as praias das pitorescas vilas do Jardim e do Paul do Mar oferecem excelentes ondas para surfar.

Subimos até ao Paul da Serra, o maior planalto da Madeira, e fazemos uma pausa para apreciar a bela vista sobre as encostas. Seguimos em direção ao Porto Moniz e retemperamos forças num mergulho revigorante nas famosas piscinas naturais na rocha. Com crianças, uma boa opção é visitar o Aquário da Madeira.

A viagem segue rumo a S. Vicente numa estrada salpicada de quedas de água, de onde ressalta à vista o contraste do verde majestoso com o azul cristalino das águas do mar. Aqui podemos visitar as Grutas e o Centro do Vulcanismo, o Núcleo Museológico - Rota da Cal, ou simplesmente passear nas ruelas da simpática vila.

Depois existem duas opções: subir novamente para a Encumeada para se admirar a luxuriante vegetação da floresta Laurissilva, ou continur em direção a Santana descobrindo pequenos miradouros por entre belos vales e montanhas.

Em Santana podemos visita as casas típicas, o Parque Temático e à zona das Queimadas, que constitui o local de partida para belíssimos passeios a pé como o Caldeirão Verde. A descida para o Faial surpreende uma vez mais pela beleza e imponência das montanhas.

Chegando ao Faial, podemos seguir para Machico ou continuar a visitar o interior da ilha, seguindo a estrada para as localidades do Ribeiro Frio, Poiso e Pico do Areeiro. Este pico constitui o terceiro ponto mais alto da ilha (1818 m), nele se encontrando belas formações rochosas que se projetam no céu como estátuas sem tempo.

Em Machico, vale a pena ir ao Caniçal e à Ponta de São Lourenço, o ponto mais oriental desta ilha.

Já de volta ao Funchal, são imperdíveis as vistas para as Ilhas Desertas na Ponta do Garajau, e uma panorâmica fabulosa sobre baía no miradouro de São Gonçalo.

 

O MONTE E OS CARROS DE CESTO

O Monte, também conhecida como “a freguesia dos carrinhos”, é uma das mais emblemáticas freguesias da cidade do Funchal, e local “obrigatório” a visitar, não só pela sua história, mas também pela vista panorâmica sobre a baía do Funchal.

Por entre jardins e imenso arvoredo, o centro da pequena localidade do Monte permite tranquilos passeios a pé, com paragens na Igreja de Nossa Senhora do Monte, erguida em honra da padroeira da Madeira e que inclui, no seu interior, o túmulo de Carlos I, Imperador da Áustria, e na Quinta Jardins do Imperador, última morada do referido monarca. Aqui se celebram todos os anos a 15 de Agosto, as festas em honra de Nossa Senhora do Monte, padroeira da ilha.

Ainda merecedor de paragem, o Jardim Tropical Monte Palace possui uma coleção de plantas exóticas provenientes de todos os continentes e inúmeras obras de arte espalhadas pelos jardins, para além das que estão reunidas no Museu que faz parte deste complexo.

Explorando os jardins do Parque Municipal do Monte, também conhecido como Parque Leite Monteiro, podemos descobrir muitas espécies endémicas e exóticas e árvores centenárias. Para visitar o Monte e posteriormente regressar ao Funchal, sugerimos duas excelentes opções: subir no teleférico e descer nos carros de cesto.

Teleférico do Monte efetua a ligação entra a zona histórica do Funchal e o Monte. A viagem tem uma duração aproximada de 15 minutos e permite desfrutar de uma vista panorâmica da cidade.

É do Monte que partem os tradicionais carros de cesto, feitos em vime e montados sobre patins de madeira, que são arrastados por dois homens, os "carreiros" (tipicamente vestidos de branco e com chapéu de palha) os quais controlam a velocidade do carro com a ajuda de cordas. O percurso de 2 km vai desde o Monte até ao Livramento, em aproximadamente 10 minutos e é o ideal para complementar a subida ao Monte por teleférico.

 

SAÚDE E BEM-ESTAR NA MADEIRA

Descobrimos um ambiente de perfeita harmonia entre a natureza e o homem onde o provérbio "mente limpa, corpo são" faz todo o sentido. 

A Madeira é muito mais do que uma ilha, é um lugar místico, de descoberta da natureza e de nós próprios. Tal como nós, feitos da dualidade corpo e alma, é feita de contrastes entre o Oceano profundo e as montanhas altas, o sol e a neve, o azul do mar e as cores exuberantes das flores. É nesta paisagem de contrastes, em perfeita harmonia, que encontramos o equilíbrio entre o corpo e a mente.

Desde há muito tempo procurada pelas suas qualidades terapêuticas para a cura de doenças essencialmente do foro respiratório, a Madeira continua a oferecer condições excecionais como destino de saúde.

Nesta ilha de águas calmas e límpidas e podemos tirar partido dos extratos de algas e plantas, do fresco aroma das flores, do ar 100% puro, aliado ao clima temperado, e renovar as energias.

A grande maioria dos estabelecimentos hoteleiros oferece um vasto leque de opções - piscinas naturais, saunas e centros de massagens. Alguns são mesmo "estâncias de saúde", complementando a oferta com serviços como talassoterapia, hidromassagem, banho turco, centros de estética, aliando a componente médica à estética.

Não devemos esquecer da ilha do Porto Santo que, para além da imensa praia de areia dourada, cujas propriedades minerais apresentam já reputação internacional pelas suas possibilidades terapêuticas ao nível do tratamento de doenças do foro reumático, disponibiliza também um Centro de Talassoterapia que presta serviços de saúde complementar nas vertentes preventiva e curativa.

Possuidora de elementos tão saudáveis quanto naturais, a Madeira oferece as condições essenciais para desfrutar de umas férias relaxantes ou revigorantes em qualquer altura do ano.

 

GOLFE NA MADEIRA

Tal como uma Primavera eterna, a Madeira é, por excelência, um destino de golfe para todo o ano. Duas ilhas distintas apresentam três magníficos campos de golfe e uma oferta de alojamento, de lazer e de bem-estar que encantam todos os golfistas.

A temperatura é amena ao longo de todo o ano, a natureza intacta oferece ar puro e passeios inesquecíveis, a gastronomia está cheia de sabores ricos em tradição. Aqui, as opções para passar uns dias de férias inesquecíveis são inúmeras. E encontram-se a apenas algumas horas de avião da Europa.

A tradição do golfe nesta ilha remonta já a 1937, altura em que os ingleses Miles, Leacock e Blandy constroem o primeiro campo de golfe de nove buracos. Nesta ilha poderá treinar num dos dois campos, o Palheiro Golf e o Clube de Golfe do Santo da Serra, com 18 e 27 buracos respetivamente, sendo ambos notáveis pela beleza e envolvência dos seus cenários.

O Porto Santo Golfe, situado na ilha com o mesmo nome, a 40 km da Madeira, é um campo de 27 buracos, projetado pelo famoso golfista Severiano Ballesteros. Com os seus 9 km de praia e as águas límpidas, a ilha do Porto Santo convida a um mergulho, após uma partida.

Faz parte do calendário de torneios de golfe da Madeira, o ‘Madeira Island Open’, prova integrada na PGA Europeia, que constitui o mais importante torneio de golfe que se realiza, anualmente na região, por altura da Primavera.

A Madeira dispõe, neste momento, de todas as facilidades para acolher golfistas de todos os handicaps, nelas se incluindo uma oferta hoteleira de qualidade superior, que posicionam as ilhas num paraíso para os amantes deste desporto e que, certamente, irão deslumbrar-se com o desafio de cada "hole" e com a paisagem envolvente.

 

 

 

Fonte e Créditos

Turismo de Portugal: www.visitportugal.com/pt-pt/destinos/madeira
Turismo da Madeira: www.visitmadeira.pt

VIVER A NATUREZA NA MADEIRA

Um dos maiores atrativos turísticos da Madeira é a sua vegetação luxuriante e variada, que combina as características tropicais com as mediterrânicas, originando um mosaico vegetal diversificado e rico em tonalidades de verdes, formas e portes.

Visando a salvaguarda deste vasto património natural, que constitui uma raridade a nível mundial, foi criado, em 1982, o Parque Natural da Madeira, parque classificado como Reserva Biogenética, na qual podemos encontrar uma flora e fauna únicas com alguns espécimes raros, como é o caso da Orquídea da Serra, única no Mundo, e ainda árvores de grande porte, pertencentes à família das Lauráceas - o til, o loureiro ou o vinhático e arbustos, fetos, musgos, líquenes e outras plantas de pequeno porte, características da Laurissilva.

Visitar este parque é descobrir a natureza! O parque engloba cerca de 2/3 do território da ilha e nele estão definidas um conjunto de áreas protegidas, terrestres e marítimas, tornando a Madeira um destino ecológico. Dos 1300 aos 700 metros de altitude no Sul da Ilha e aos 200 metros no Norte concentra-se a maior área de Floresta Laurissilva da Macaronésia, que a UNESCO incluiu na lista do Património da Humanidade. A área de proteção deste parque inclui ainda a Ponta de São Lourenço, a Reserva Natural das Ilhas Desertas, a Reserva Natural das Ilhas Selvagens, a Reserva Natural Parcial do Garajau, a Reserva Natural da Rocha do Navio e a Rede de Áreas Marinhas Protegidas do Porto Santo.

A peculiar orografia deste arquipélago aliada à diversidade de terrenos e riqueza paisagística possibilita um sem número de atividades ao ar livre. Seja em terra, no mar ou pelo ar, as opções são várias para qualquer amante da natureza. Os inúmeros trilhos e Levadas que cruzam a floresta endémica da Laurissilva encantarão os caminhantes com as suas vistas arrebatadoras sobre as montanhas, e para os mais audazes a subida aos Picos do Areeiro e Ruivo, promete ficarmos acima das nuvens, com a ilha aos nossos pés.

Já os mergulhadores poderão explorar as águas turquesas da Reserva Natural do Garajau. Entre a fauna marinha residente contam-se alguns peixes de grande porte, como os Meros, cartaz turístico da reserva. Rodeadas por escarpas íngremes, quase inacessíveis, as Ilhas Desertas são o último refúgio atlântico da foca-monge, a foca mais rara do mundo. Igualmente desabitadas, as Ilhas Selvagens são consideradas um santuário ornitológico. Para visitar estas reservas, o melhor é fazermos um passeio de barco numa das muitas empresas de animação que organizam passeios à volta arquipélago, nos quais temos oportunidade de observar espécies marinhas de grande porte como baleias, golfinhos, cachalotes, tartaruga boba, assim como Lobos-Marinhos.

Podemos ainda explorar a zona costeira, repleta de falésias majestosas, praias de seixos e piscinas rochosas naturais que atestam as origens vulcânicas da ilha. Ou, então, apanhar um ferry ou um voo para Porto Santo e desfrutarmos de vários quilómetros de praias douradas.

Para os que gostam da observação de aves, este arquipélago não deixará de os surpreender, pois aqui podemos avistar algumas espécies exclusivas desta parte do globo como o Pombo-Trocaz, o bisbis ou a freira-da- Madeira. Para não esquecermos estes momentos, a máquina fotográfica é mesmo obrigatória.

Quando visitar a Madeira não perca a oportunidade de conhecer de perto todas estas maravilhas e cenários majestosos. Será difícil resistir à tentação de descobrir os atrativos deste paraíso.

 

LEVADAS DA MADEIRA

Cerca de 3.000 km de levadas para seguir e explorar, descobrindo paisagens de cortar a respiração, num encontro único com a Natureza.
A par das suas belezas naturais, a Madeira tem para oferecer uma outra beleza não menos surpreendente: a obra grandiosa do seu sistema de irrigação - as Levadas.

Estes cursos de água são o documento vivo de um esforço titânico dos antepassados para repartir pelas encostas e vales a água abundante que brota de nascentes no cimo das serras. Integram-se num conjunto de áreas protegidas, das quais se destacam o Parque Natural da Madeira e o Parque Ecológico do Funchal.

As maiorias dos percursos são acessíveis a qualquer um, existindo, no entanto, vários graus de dificuldade, pelo que se aconselha a consulta a profissionais da área e de publicações específicas sobre o tema, bem como a utilização de equipamento adequado.

Para além dos percursos pedestres que proporcionam, as levadas são por vezes as únicas vias de acesso a determinados locais tão isolados que merecerão certamente uma visita. Fora das estradas principais descobrimos a alma da ilha percorrendo algumas destas levadas.

Estes magníficos passeios, dão a oportunidade de vislumbrar paisagens de cortar a respiração num encontro perfeito com a natureza. Do azul profundo do mar ao verde das altas montanhas, a emoção dos 0 aos 1862 metros é garantida!

Entre levadas e veredas e desfrutamos os melhores panoramas que a exuberante natureza da Madeira proporciona.
Um verdadeiro tónico para o dia-a-dia!

 

JARDINS, PARQUES E QUINTAS DA MADEIRA

Famosa pelo mundo fora devido à sua beleza natural, a Ilha da Madeira é também frequentemente conhecida como “o jardim flutuante do Atlântico”. Aqui, as tonalidades da vegetação que cobrem as encostas só encontram rival nas exóticas flores que desabrocham em todos os recantos.

Graças ao seu clima suave e moderado, podemos ao longo de todo o ano, e em ambiente natural, admirar flores e plantas oriundas de quase todos os continentes, como as orquídeas, as estrelícias, os antúrios, as magnólias, as azáleas, as proteias entre muitas outras.

Algumas destas plantas tropicais e subtropicais chegaram à ilha nos séculos XVIII e XIX, pelas mãos de comerciantes ingleses enriquecidos com o comércio do vinho Madeira, e escolheram as freguesias do Monte, da Camacha, do Santo da Serra e do Jardim da Serra para construir as suas quintas. A escolha destes locais estava relacionada com o clima mais fresco e húmido, mais próximo das condições atmosféricas da Inglaterra, melhor para a aclimatação das plantas daí trazidas.

As Quintas da Madeira são atualmente uma das grandes atrações da região, que podemos conhecer durante a visita à ilha. Muitas foram recuperadas para vários fins como alojamento para férias, museu, café, entre outras. As Quintas da Madeira integram enormes e espaçosos jardins floridos, repletos das mais raras e variadas plantas, e com espaços convidativos ao descanso e relax ou à simples contemplação da natureza. São sem dúvida um ótimo lugar para passear ou para passar férias em família.

Entre estes locais podemos destacar o Jardim Botânico, situado na Quinta do Bom Sucesso, o Jardim da Orquídea, ou o Parque de Santa Catarina e o Jardim Municipal, bem no centro do Funchal.

Merecem igualmente visita os Jardins do Imperador, o Jardim Tropical Monte Palace ou a Quinta do Palheiro Ferreiro, onde podemos passar algumas horas e desfrutar das vistas panorâmicas que oferecem. Ou ainda a Quinta Vigia, a Quinta Magnólia e a Quinta das Cruzes, localizadas na zona baixa do Funchal, possuem também uma extraordinária variedade de plantas merecedoras de uma visita.

Nos jardins da Quinta do Arco, localizada no Arco de São Jorge, na costa norte da ilha, podemos conhecer uma das maiores coleções de roseiras de Portugal, da qual fazem parte algumas espécies de roseiras raras e outras em via de extinção.

A Madeira possui ainda diversos parques como o Parque Ecológico do Funchal, o Parque Florestal das Queimadas a 5 km de Santana, e o Parque Florestal do Ribeiro Frio. Este último é também um excelente local para passear a pé, partindo daqui uma das veredas mais espetaculares da Ilha, que liga o Ribeiro Frio ao sítio dos Balcões, permitindo desfrutar das belíssimas vistas panorâmicas do vale profundo da Ribeira do Faial e do anfiteatro rochoso do Maciço Central onde se destaca o ponto mais alto da ilha, o Pico Ruivo.

Dizem que a Primavera passa o Inverno na Madeira, por isso nada melhor que celebrar esse facto com a realização anual da Festa da Flor. Este evento que enche as ruas do Funchal de flores pretende homenagear as flores desta ilha jardim.

Antes de voltar para casa, sugerimos uma visita ao Mercado dos Lavradores no Funchal, para comprar uma recordação destas férias…as emblemáticas flores da Madeira.

 

 

 

Fonte e Créditos

Turismo de Portugal: www.visitportugal.com/pt-pt/destinos/madeira
Turismo da Madeira: www.visitmadeira.pt

ANIMAÇÃO E FESTIVIDADES NA MADEIRA

A Madeira é um destino rico em animação com um calendário preenchido de espetáculos, festas e exposições.

Este arquipélago de natureza invulgar, conhecido pelo seu clima de primavera eterna e pela paisagem exuberante, não é apenas um local privilegiado para relaxar. Na Madeira, podemos desfrutar de uma vasta oferta cultural, desportiva e popular, de janeiro a dezembro, não faltando oportunidades para nos distrairmos e apreciarmos tudo o que as ilhas têm para nos oferecer. Estes eventos que contam com o entusiasmo da população são também só por si bons motivos de visita, contribuindo para tornar as férias inesquecíveis.

De destacar as festas de Carnaval, que durante cinco dias consecutivos, decoram as ruas do Funchal com motivos luminosos e são inundadas por música de bandas filarmónicas e marchas carnavalescas que levam a boa disposição a toda a baixa da cidade. É quase impossível não nos deixarmos contagiar e desfilar junto da população local.

A primavera na Madeira tem honras de rainha, sendo coroada com a Festa da Flor, que todos os anos se realiza no Funchal após a Páscoa. Dezenas de carros alegóricos, enfeitados com uma multiplicidade de flores típicas da ilha, deixam no ar suaves perfumes – enquanto percorrem as ruas as ruas da cidade no grande cortejo da Flor.

Em junho, com o Festival do Atlântico, a animação e a cultura de mãos dadas transformam a capital madeirense num grande palco. Todos os sábados à noite há concertos, onde o esplendor do fogo-de-artifício se conjuga harmoniosamente com a música, proporcionando momentos únicos de alegria e cor.

Já no início de setembro, altura em que por toda a ilha se iniciam as vindimas, tem lugar a Festa do Vinho da Madeira. Esta festa procura recriar e reconstituir velhos e ancestrais hábitos da população madeirense, que datam do início do povoamento da Ilha. Enquanto no centro do Funchal decorrem diversos espetáculos alegóricos de luz, som e folclore alusivos ao vinho e às vindimas, na freguesia do Estreito de Câmara de Lobos, a festa começa com a vindima ao vivo. A apanha da uva, os cortejos dos vindimadores, a pisa da uva e todo o restante ritual do arraial típico madeirense são momentos vividos com entusiasmo por todos os que assistem às festividades e que são convidados a participar.

Ainda em setembro, a Vila Baleira, no Porto Santo, dedica uma semana ao navegador Cristóvão Colombo que passou e viveu alguns anos da sua vida na ilha. O Festival de Colombo pretende relembrar as passagens e vivências deste navegador pelo arquipélago da Madeira, bem como toda a epopeia da época dos Descobrimentos. Muita música, exposições, animação de rua, encenação de ambientes da época, com particular destaque para a recriação do desembarque de Colombo e seus acompanhantes no cais da cidade, que marcam esta semana “histórica”.

Em outubro, a Madeira promove o Festival da Natureza e celebra o que nela há de melhor, junto dos seus visitantes. Tanto em terra como no ar ou no mar, as escolhas são mais que muitas e todos podem experienciar atividades, num leque de oferta variado e destinado a todas as idades. A estas atividades juntam-se muitas outras, numa festa que associa o desporto, a animação, a etnografia e a cultura madeirense.

No final do ano, as festas ganham ainda mais significado com o verdadeiro ex-libris da Madeira, as Festas da Passagem de Ano. As tradições cristãs da época do Natal conjugam-se com as manifestações de alegria pela chegada do novo ano num programa rico e extenso que abrange todo o mês de dezembro e se prolonga até ao dia de Reis, a 6 de janeiro. Uma Ilha em festa, nos hotéis, nos restaurantes, nos bares e nas ruas que para assinalar a passagem de ano, ilumina os céus do Funchal com fogo-de-artifício durante aproximadamente dez minutos. É sem dúvida um autêntico amanhecer que saúda a chegada de um novo ano.

Mas se por acaso não tivermos a sorte de aqui estar durante um destes grandes eventos, na Madeira encontraremos sempre outros motivos de animação.

Depois de um dia bem preenchido, nada como descontrair na noite madeirense. O famoso Vinho da Madeira e as bebidas típicas, como a "Poncha ", são boas sugestões para começar a noite. Podemosainda testar a sorte no Casino da Madeira que, para além das diversas salas de jogos, tem uma discoteca com espetáculos musicais ao vivo.

 

 

 

Fonte e Créditos

Turismo de Portugal: www.visitportugal.com/pt-pt/destinos/madeira
Turismo da Madeira: www.visitmadeira.pt

GASTRONOMIA NA MADEIRA

A simplicidade gastronómica do Arquipélago da Madeira retrata a alma de um povo simples mas generoso.

Aqui a gastronomia prima pelo tradicional e pelo contemporâneo, numa subtileza construtiva entre os diversos produtos regionais, de grande qualidade, que permitem a elaboração de um variado menu de especialidades gastronómicas que vão desde a cozinha regional até à cozinha internacional, passando ainda pelo gourmet.

Em pleno Atlântico, os peixes e mariscos do arquipélago são saborosos e cozinhados com tradição, como os filetes de peixe-espada preto ou bifes de atum, acompanhados com o estaladiço milho frito. Ou o polvo e mariscos deliciosos, a começar nas lapas, caramujos e muitos outros.

Nas carnes, o prato mais tradicional é a famosa espetada de vaca em pau de loureiro, que lhe dá um sabor inconfundível. Muito procurados são também o cuscuz de fabrico caseiro, a sopa de trigo, e a carne de vinha- d’alhos.

Lugar de clima excecional, na Madeira existe grande variedade de culturas, com lugar para a cana-de-açúcar e frutos tropicais, (da apreciada banana, ao ananás, a pera abacate, a anona, a manga e o maracujá), presentes em bebidas e delicadas sobremesas.

O famoso vinho Madeira, que tem mais de 30 castas, sendo as mais nobres o Sercial, Boal, Verdelho e Malvasia, bebido como aperitivo ou digestivo, vai bem com o tradicional bolo de mel (de mel de cana). É também com a cana-de-açúcar que se faz a aguardente da célebre poncha, confecionada ainda com mel e limão, a provar quando subir ao Pico do Areeiro.

O bolo do caco não pode faltar. Só que este não é um bolo, mas um pão cozido sobre um bocado de telha, que acompanha normalmente a espetada com manteiga d’alho. Também com batata-doce se faz pão na Madeira: as apetitosas rosquilhas de batata-doce. As Queijadas e os rebuçados de funcho são igualmente muito apreciados.

Venha deliciar-se com as iguarias madeirenses que, com certeza, irão ajudar a tornar a sua estadia inesquecível. Alie o prazer do convívio ao prazer de degustar!

 

 

Fonte e Créditos

Turismo de Portugal: www.visitportugal.com/pt-pt/destinos/madeira
Turismo da Madeira: www.visitmadeira.pt