My Best Hotel
Hoteis Turismo Rural Alojamento Local Hostels Campismo Atividades Restaurantes A Visitar Promoções

Ofertas Especiais

Locais a visitar » PROENÇA-A-NOVA, desperte para o interior!

PROENÇA-A-NOVA, desperte para o interior!

Proença-a-Nova é uma bonita Vila do Centro do País, sede de concelho, situada numa região de grande beleza natural, com belas paisagens e condições para as mais variadas actividades de lazer, desportivas e turísticas.

Os vestígios de ocupação humana neste território são muito remotas, com diversos vestígios arqueológicos encontrados nesta área, mormente da época de ocupação romana. Proença-a-Nova era anteriormente designada de "Cortiçada", mantendo este topónimo até ao século XVI, altura em que foi definitivamente abandonado em favor do actual.

Por toda a região existem inúmeros vestígios arqueológicos de outros tempos, como as Antas de Sobreira Formosa e Proença-a-Nova, e a antiga Ponte do Malhadal, que se diz ser romana. A vila de Proença-a-Nova apresenta também uma bonita Igreja Matriz recentemente restaurada, ostentando a Cruz de Malta, o interessante Cruzeiro, as Capelas da Misericórdia, de Santo António, Espírito Santo, São Bartolomeu e de São Sebastião.

Situada num região abençoada pela natureza, no concelho de Proença-a-Nova existem ainda várias praias fluviais entre as quais se destacam: a praia fluvial de Fróia, a do Malhadal, Aldeia Ruiva e a do Alvito da Beira perfeitas para prática das mais diversas actividades de lazer e turismo

Rodeada por extensas áreas florestais e campos cultivados, em que destacam os olivais e as cerejeiras que florescem na Primavera cobrindo vastas áreas de um enorme manto branco, num espectáculo deslumbrante, Proença-a-Nova é uma vila a descobrir bem no centro do país.

Dos tempos antigos conserva-se a ponte romana sobre a ribeira da Pracana em São Pedro do Esteval, as aldeias típicas da Figueira e da Pedreira, e na vila merece uma visita a Igreja Matriz com belíssima talha do séc. XVIII, bem como o moinho tradicional em xisto, com as suas enormes mós.

Na gastronomia destacam-se os maranhos e as feijoadas, os enchidos e o queijo de cabra, bem como as cavacas e os bolos de mel e azeite.

Praias fluviais, passeios pedestres, aldeias típicas e equipamentos como o Centro Ciência Viva da Floresta oferecem programas cheios de atividades, mas quem gosta de explorar a natureza e descobrir os pormenores que desvendam a história da região tem muitos outros pontos de interesse a descobrir.

 

PATRIMÓNIO

Os registos de presença humana no concelho de Proença-a-Nova remontam há mais de cinco mil anos, conforme provam as mais recentes investigações arqueológicas. Desde essa altura que habitantes deixam a sua marca no território, visível em antas, muralhas ou fortes mas também em igrejas e outros edifícios com história. As tradições, os usos e os costumes são igualmente património, neste caso imaterial, que importa preservar pois também é este que constrói a identidade dos proencenses.

A Carta do Património e o Campo Arqueológico Internacional de Proença-a-Nova são dois instrumentos que têm permitido realizar, por um lado, o levantamento e inventariação do património do concelho e, por outro, investigar, detalhar e divulgar mais informação sobre a ocupação do território e o património aí existente.

As marcas construídas no território também contam a história das populações que o habitaram. Por exemplo, os inúmeros moinhos de água e de vento existentes no concelho atestam a importância que a produção cerealífera teve na economia local e na alimentação. A fé e religiosidade das gentes estiveram na origem da edificação de capelas e igrejas em quase todas as aldeias do concelho. Todo este património é fundamental para a construção da identidade de quem ocupa o território, contribuindo para a transmissão de saberes de umas gerações para outras.

Sem esquecer as suas raízes, a população mantém vivas tradições particularmente ricas em períodos festivos como o Natal e a Páscoa. A religiosidade caraterística do mundo rural renova-se em rituais como a Encomendação das Almas, as Janeiras ou o madeiro de Natal e diversas iniciativas promovem a recolha e preservação deste património imaterial. Os grupos de folclore existentes contribuem igualmente para manter viva a música, vestuário, hábitos de trabalho e atividades típicas da primeira metade do século XX. Também algumas lendas recolhidas e publicadas em livros etnográficos enriquecem a memória coletiva

 

ALDEIAS DE XISTO 

Junto ao forno comunitário da Figueira, o cheiro a pão quente espalha-se pelas estreitas ruas em volta. Na parede de xisto ao lado da porta do forno, mantém-se o sistema original de marcações em que as famílias selecionavam o dia em que queriam cozer o pão. O forno era o coração da aldeia e volta hoje a dinamizar o projeto de revitalização, em articulação com a rede das Aldeias do Xisto. Todas as semanas pão e broa frescos saem do forno para as prateleiras da Loja da Aldeia, onde podem ser encontrados outros produtos regionais. No piso superior da loja, o restaurante proporciona uma viagem pelos sabores tradicionais.

Com apenas três dezenas de moradores, a aldeia é o destino ideal para quem gosta da vida comunitária e de escavar memórias e tradições de outros tempos. A estrutura peculiar da Figueira ajuda a perceber a sua história, da qual o lobo é um dos protagonistas. A disposição das ruas – uma longitudinal e várias transversais – formava um conjunto de entradas, das quais ainda hoje subsistem vestígios. Durante a noite, as entradas eram fechadas com portas, de modo a que toda a população e os animais domésticos ficassem protegidos do ataque dos lobos.

A aldeia está próxima de outros pontos de interesse turístico, como a praia fluvial da Fróia, o Museu Isilda Martins e o Centro Ciência Viva da Floresta.

Embora não estejam integradas na rede das Aldeias do Xisto, existem outras povoações igualmente com núcleos bem preservados. É o caso da aldeia de Oliveiras, junto à praia da Fróia, onde podem ser encontrados artesãos que trabalham ao vivo, e das aldeias de Cunqueiros e Pedreira.

 

 

---
Fontes e Créditoswww.cm-proencanova.pt
Facebookmunicipio.deproencaanova
Youtube: Canal Proença-a-nova

São um dos atrativos turísticos do concelho e nasceram do aproveitamento cuidado das linhas de água que o cruzam. Aldeia Ruiva, Alvito, Cerejeira, Fróia e Malhadal constituem a rede de praias fluviais do concelho, valorizadas pela moldura natural e servidas por equipamentos construídos com a preocupação de preservar a identidade dos locais, recorrendo a materiais como o xisto e a madeira. Todas as praias são sujeitas a controlo de qualidade da água e têm vindo a ser dotadas de equipamentos para pessoas com mobilidade condicionada. Fróia foi considerada pela Quercus praia com qualidade de ouro de 2013 a 2018.

ALDEIA RUIVA

Classificada nos últimos anos com a bandeira de Praia Acessível, dispõe de uma cadeira anfíbia para quem tem mobilidade condicionada e a represa apresenta vários desníveis, permitindo o acesso seguro a banhistas de todas as idades. Além de um parque de campismo rural, dispõe de bungalows para quem quiser descansar a apenas 5 km de Proença-a-Nova, com acesso rápido aos principais pontos de interesse do concelho.

ALVITO DA BEIRA

Inaugurada em 2007, a praia de Alvito é uma das mais recentes do distrito. Situada num vale, à entrada da aldeia que lhe dá o nome, a praia é o ponto de partida de um percurso pedestre de pequena rota [PR5] através de antigas levadas. O passeio conduz até à Cova do Alvito, povoação sem habitantes permanentes mas bem preservada. A curta distância fica também a praia fluvial da Cerejeira.

CEREJEIRA

Localizada na ribeira do Alvito, é valorizada pelo enquadramento natural e ambiente reservado. Rica em fauna e flora, tem na tranquilidade um dos pontos fortes. Oferece excelentes condições para a prática de pesca desportiva e a Associação Recreativa e Cultural da Cerejeira, que gere a praia, aluga diversos tipos de embarcações.

FRÓIA

Encaixada num vale, na nascente da ribeira que lhe dá o nome, a praia fluvial da Fróia tem no enquadramento paisagístico uma das mais-valias. Nas proximidades encontram-se as aldeias típicas de Pedreira e Oliveiras, onde dois artesãos trabalham ao vivo em xisto e verga. Moinhos recuperados, duas pequenas cascatas e extensos solários, com zona fluvial para os mais pequenos, contribuem para valorizar um espaço que além de condições naturais oferece uma zona de restauração com esplanada aberta todo o ano.

MALHADAL

Instalada numa represa, a praia fluvial do Malhadal é a ideal para quem aprecia espaços amplos e calmos. Com corrente constante durante todo o verão, dispõe de caiaques e gaivotas para aluguer, piscina flutuante com espaço para crianças e o Fluvifun - Parque Aquático do Malhadal, um equipamento diferenciado composto por diversos insufláveis. Nas imediações encontra-se uma ponte filipina bem preservada e diversas azenhas. A abundância de carpas, barbos e bogas tornam o local ideal para os amantes da pesca e tem também boas condições para a organização de atividades para grupos.

 

 

---
Fontes e Créditoswww.cm-proencanova.pt
Facebookmunicipio.deproencaanova
Youtube: Canal Proença-a-nova

MIRADOUROS

O concelho integra o Geopark Naturtejo e os dois geomonumentos proporcionam paisagens panorâmicas perante as quais é impossível ficar indiferente. Nas Portas do Almourão, na fronteira com o concelho de Vila Velha de Ródão, além da beleza das fragas quartzíticas rasgadas pelo rio Ocreza avistam-se espécies raras de fauna e flora. Encontram-se grifos e sobrevoar a zona e grandes quantidades de zimbro. O miradouro e toda a zona envolvente são atravessados pelos percursos pedestres PR2 e PR6, apetecíveis para quem aprecia turismo de natureza.

O miradouro geomorfológico das Corgas estende-se no dorso das montanhas, por entre a urze e a giesta. O olhar alcança dezenas de quilómetros até à curiosa forma da Serra das Talhadas, que materializa a megadobra em U – o Sinclinal do Ródão.

Além dos dois geomonumentos, existem vários outros miradouros com paisagens que compensam a visita. O mais alto é o Picoto da Espadana, a 954 metros de altitude. Também o Cabeço dos Três Marcos, a 906 metros, permite observar áreas de grande relevo e beleza, aconselhando-se a viagem até Alvito da Beira.

O cruzeiro da Serra das Talhadas, a partir do qual se tem uma vista de 360º, é acessível por uma estrada de terra (com condições apenas para viaturas TT), a partir de Chão do Galego. Pode ainda ser percorrido a pé, através do percurso pedestre PR6. O Picoto do Vergão e a Penha do Falcão são outros pontos que convidam quem gosta de contemplar a natureza.


ACTIVIDADES

Passeios e Percursos pedestres
Paisagens naturais, monumentos megalíticos, vestígios das invasões francesas, miradouros, geossítios, fauna e flora diversificada. Os oito percursos pedestres do concelho, marcados segundo as normas da Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal, oferecem diferentes atrativos para quem se queira fazer ao caminho. Sete dos percursos encontram-se já homologados. O PR8 tem como ponto de partida e chegada a Aldeia do Xisto de Figueira.

Além dos percursos marcados, que podem ser feitos por qualquer caminheiro individualmente, mensalmente são realizados passeios guiados que vão percorrendo diferentes zonas do concelho.

BTT
Os «betetistas» ou praticantes de BTT têm no concelho de Proença-a-Nova condições ímpares para a prática desta atividade, principalmente na vertente de lazer. O Centro de BTT da Fróia, instalado perto da praia fluvial com o mesmo nome, é uma infraestrutura desportiva permanente que acolhe os ciclistas, tendo estacionamento, balneários, estação de serviço para bicicletas (lavagem, ar e mini-oficina) em regime de self-service. Além disso, estão disponíveis quatro percursos marcados para a prática de BTT.

Aventura
Exploração da natureza, emoções fortes, atividades radicais: Proença oferece um conjunto de alternativas para quem aprecia desportos de aventura. A par de empresas especializadas neste segmento, encontra infraestruturas e equipamentos preparados para a prática isolada (ou em grupo) de atividades como a escalada.

Pesca
São várias as linhas de água e locais com boas condições para a prática de pesca desportiva, sendo de destacar o rio Ocreza, ribeira e barragem da Pracana, ribeira do Alvito, zona da foz da ribeira da Fróia e ribeira da Isna.

Caça
Além do javali, existem no concelho espécies como a perdiz, coelho e lebre. Por lei todos os caçadores têm acesso às zonas de caça municipais (ZCM), cabendo a entidades gestoras garantir a igualdade de oportunidades a todos os interessados.

 

 

---
Fontes e Créditoswww.cm-proencanova.pt
Facebookmunicipio.deproencaanova
Youtube: Canal Proença-a-nova

A caprinicultura e a apicultura, duas atividades que no passado predominaram no concelho, imprimem a sua marca na cozinha de Proença-a-Nova. Pratos como o maranho e a tigelada, dois dos mais destacados exemplos de receitas transmitidas de geração em geração, ilustram essa valorização do cabrito, utilizado nos pratos festivos, e da doçaria com mel.

O queijo cabreiro é outro produto obrigatório sobre a mesa. Fabricado de modo artesanal, o melhor queijo é produzido nos meses mais frios, quando também o leite é mais rico devido ao facto de a alimentação das cabras ser diferenciada.

A cereja e os citrinos, produzidos em maior abundância na freguesia de Montes da Senhora, merecem destaque na fruticultura. Do medronho é feita a aguardente, nalgumas povoações ainda destilada nos tradicionais alambiques.

Pratos Principais

Confecionados com ligeiras variações consoante as freguesias ou os costumes passados de geração em geração, os pratos mais típicos do concelho têm um único segredo: a qualidade dos ingredientes, particularmente importante na seleção de carnes utilizadas no maranho: Afogado da Boda, Maranho, Plangaio e Salada de Almeirão.

Doces

A tigelada é a rainha da doçaria local, mas há uma grande variedade de bolos secos utilizando recursos abundantes na região, como o mel, o azeite e a aguardente de medronho: Bolo Finto, Broas de Mel, Esquecidos e Tigeladas.


Proença-a-Nova Origem

Ao ver esta marca, Proença-a-Nova Origem, prepare-se para uma viagem pelos sentidos. O cheiro do pão acabado de sair do forno, do fumeiro e da azeitona a moer no lagar. Os sabores preservados através de gerações. As cores e características genuínas de produtos criados à mão, recorrendo a matérias-primas ou a métodos locais de confeção. As atividades e serviços de lazer que asseguram momentos únicos. Proença-a-Nova Origem é um selo de qualidade que reconhece tudo isto: produtos e serviços de qualidade, que combinam o melhor da tradição com o que os novos tempos vão trazendo de inovador.

Na perspetiva do consumidor, a marca Proença-a-Nova Origem é uma garantia de que está perante um produto ou serviço que respeita as matérias-primas e métodos de produção deste Concelho. Genuinamente nossos. Percorra as nossas listas de compras e mesmo que esteja longe, Proença-a-Nova vai ao seu encontro.

 

 

 

---
Fontes e Créditoswww.cm-proencanova.pt
Facebookmunicipio.deproencaanova
Youtube: Canal Proença-a-nova


info
75 €
Azoka by The River
Proença-a-Nova

info
65 €
Casas dos Carregais
Proença-a-Nova