My Best Hotel
Hoteis Turismo Rural Alojamento Local Hostels Campismo Atividades Restaurantes A Visitar Promoções

Ofertas Especiais

Locais a visitar » SANTA MARIA DA FEIRA, Capital da Cultura!

SANTA MARIA DA FEIRA, Capital da Cultura!

Visite Santa Maria da Feira e viaje pela nossa história e património.
Encante-se no Castelo da Feira, explore recantos surpreendentes e saboreie a nossa gastronomia.


No centro de uma região que nos sécs. XI-XII era conhecida como "Terras de Santa Maria" e elo de ligação entre o Norte e Coimbra, esta localidade deve o seu nome a uma feira que na época se realizava nestes terrenos. A cidade tem como ex-libris o seu castelo, construído no séc. XV com um traçado pouco habitual nos castelos portugueses, parecendo ter saído de um conto de Fadas.

Santa Maria da Feira é actualmente uma cidade dotada de excelentes infraestruturas como o Europarque - um moderno centro de congressos com variado programa de eventos culturais - e o Visionarium - museu de ciência interactivo. Merece também especial destaque o Museu do Papel e também outros espólios Museológicos patentes no Museu dos Lóios ou no Museu de Santa Maria de Lamas.

Do calendário de eventos tradicionais, a Festa das Fogaceiras é sem dúvida o mais importante. Realiza-se anualmente a 20 de Janeiro e o seu ponto alto é o cortejo das fogaceiras, como são denominadas as raparigas que transportam à cabeça as «fogaças» (espécie de pão doce). Destaque igualmente para a grandiosa “Viagem Medieval”, onde toda a cidade parece viajar no tempo até ao Período Medieval e muitas actividades, animação e espectáculos acontecem, reunindo um largo número de visitantes.

Santa Maria da Feira é uma cidade, sede de concelho, da região norte do País, situada na região de Entre Douro e Vouga, rodeada de uma natureza luxuriante, e localizada num local privilegiado por bons meios de comunicação desde remotos tempos.

Esta é uma região de ocupação humana bem antiga, encontrando-se pelo território imensos vestígios como Castros e estações Luso-Romanas, como é o caso da cidade de “Lancóbriga“, considerada a antecessora da antiga cidade romano-cristã-portuguesa de Santa Maria da Feira. De facto, a civilização romana deixou as suas marcas, como o gosto pelos hábitos termais, troços de estradas e pontes e conhecimentos agrícolas.

No início do século XI é erguido o Castelo, no lugar de um antigo Castro, e toda a povoação se vai desenvolvendo ao seu redor. O Castelo vai ganhando imensa importância no decorrer dos tempos, e era o núcleo das Terras de Santa Maria, e dono de um famoso Mercado onde eram vendidos os mais importantes produtos, começando-se a chamar a este mercado “Feira”, denominação que se estendeu à povoação: "Vila da Feira”, nome este mantido até à década de 80 do século XX.

Vale a pena conhecer o altaneiro Castelo de Santa Maria da Feira, com origens no século X, a bonita e setecentista Igreja Matriz, a Igreja da Misericórdia do século XVI, ou apenas relaxar, passear e conhecer o bonito Centro Histórico.

Terra de férteis terrenos, possui nos arredores diversas e elegantes casas senhoriais e brasonadas dos grandes senhores agrícolas e comerciais da região, como são exemplo o Solar Condes de Fijô, a Casa da Portela ou a Quinta da Torre com os seus jardins românticos de grande beleza.

 

 

 

---
Fontes e Créditoswww.visitfeira.travel
Facebookvisitfeira
Youtube: visitfeiratv

CASTELO DE SANTA MARIA DA FEIRA

O Castelo de Santa Maria da Feira é um dos mais notáveis monumentos militares portugueses. A diversidade dos seus recursos defensivos utilizados entre os séculos XI e XVI faz dele uma peça única da nossa arquitetura militar.

Sempre representou para a Feira, e para Portugal, um símbolo de identidade nacional. Ao longo da História, desempenhou várias tarefas: foi castro de ocupação romana, baluarte contra as invasões normandas, forte militar na época da Reconquista, sede de região militar, o grande centro político que levou à independência de Portugal e habitação de famílias reais e nobres.

Hoje, o Castelo está preparado para desempenhar as funções de Polo Cultural na vasta região em que se insere e que constituía, outrora, uma região denominada Terra de Santa Maria.

 

MUSEU DO PAPEL TERRAS DE SANTA MARIA

Instalado em duas antigas fábricas de papel do início do século XIX, o Museu do Papel Terras de Santa Maria é um Museu Industrial dedicado à História do fabrico do papel, desde a sua fase manufatureira de produção “folha a folha”, apresentada no espaço oitocentista do Engenho da Lourença, à produção de papel em contínuo que marca o ambiente industrial do século passado da Casa da Máquina, e à mais recente História da Indústria do Papel em Portugal, através do núcleo expositivo “Da Floresta ao Papel”.

Constituindo um espaço manufatureiro e industrial em atividade, a sua exposição permanente tem como fio condutor a utilização de diferentes matérias – primas no fabrico de papel, ao longo dos tempos, proporcionando ao público o conhecimento dos sequentes momentos do processo de fabrico, a variedade de papéis produzidos em Portugal e a sua multiplicidade de aplicações.

Para além desta exposição permanente sobre o fabrico de papel, saliente-se a coleção de marcas de água e o acervo constituído por peças oriundas de diferentes fábricas de papel de todo o país.

 

MUSEU DE SANTA MARIA DE LAMAS

Popularmente apelidado de “Museu da Cortiça”, o Museu Santa Maria de Lamas constitui um caso particular na história da museografia portuguesa do século XX. Centrado na figura de um colecionador (Henrique Amorim) apresenta-se como um projeto de Museu que preserva a ideia da transformação de um bem privado – coleção – numa instituição de benefício público – museu. Um verdadeiro acervo singular, recuperado e reorganizado a partir de 2004, que exibe perante o seu público coleções de Arte Sacra (talha dourada, imaginária, pintura, mobiliário e objetos litúrgicos); Etnografia, Iconografia do Fundador; Mobiliário Civil; Estatuária Nacional e Internacional, finais séc. XIX e 1ª metade do séc. XX; Ciências Naturais; Tapeçaria; Azulejaria; Estatuária em Cortiça/Aglomerado de Cortiça e Arqueologia industrial (maquinaria usada nos primórdios da Indústria transformadora de Cortiça) que evidencia as potencialidades desta matéria-prima e reflete a identidade da comunidade local.

O Museu tem no seu Serviço Educativo um ponto alto em termos de qualidade teórica e lúdica, proporcionando ao visitante uma sensibilização para a própria arte, sua diversidade tipológica e temática, património cultural e sua conservação.
Um espaço socialmente ativo, cultural e pedagogicamente relevante, pela evocação de histórias e estórias, contribuindo dessa forma para aprofundar e divulgar o conhecimento do património português.

 

CASTRO DE ROMARIZ

Em Romariz encontra-se uma das estações arqueológicas mais expressivas da região de Entre Douro e Vouga (EDV).
O Castro de Romariz é um povoado fortificado datado do século V a.C. com níveis de ocupação até ao século I d.C.. Os trabalhos arqueológicos aqui realizados permitiram identificar as diversas fases de ocupação proto-histórica e romana deste povoado.

O seu espólio é constituído por numerosas espécies de cerâmicas, vidros, metais, moedas e epígrafes, destacando-se um expressivo conjunto de cerâmica indígena, púnica, grega e romana e dois tesouros monetários, indicador da ergologia indígena, dos intercâmbios regionais e de longa distância que referenciam a riqueza do quadro cronológico e cultural do povoado, permitindo reconhecer a sua importância no contexto da cultura castreja do Noroeste Peninsular.

 

MUSEU CONVENTO DOS LÓIOS

Espaço dedicado à História e ao Património, tem o propósito de salvaguarda, valorização e divulgação dos testemunhos e memórias da herança histórica e cultural do concelho e da região, promovendo diversas atividades de manifesto interesse ao entendimento da diversidade cultural e regional e também nacional.

Apresenta na exposição permanente núcleos de Arqueologia, História e Etnografia, onde explica a origem do Homem, a evolução e o desenvolvimento de um vasto território administrativo que outrora se designava por Terra de Santa Maria.

 

TERMAS DE S. JORGE

Venha descobrir um refúgio, para cuidar da sua saúde. Nas Termas de S. Jorge encontra um ambiente de tranquilidade e harmonia, onde pode retemperar energia, recuperando o seu equilíbrio, físico e psíquico. Neste moderno espaço, conjugue saúde, descanso e lazer! As inovadoras técnicas, aliadas ao acompanhamento médico especializado e à vasta equipa de profissionais habilitados, oferecem as maiores garantias de resultados na sua saúde.

As Termas de S. Jorge estão especialmente vocacionadas para as afeções respiratórias, músculo-esqueléticas e da pele.
Os programas são desenhados à medida do termalista, numa ótica de prevenção, promoção ou reabilitação da sáude.

 

ZOO DE LOUROSA - PARQUE ORNITOLÓGICO

O Zoo de Lourosa é um equipamento zoológico que tem particularidades singulares a nível nacional – é o único parque ornitológico do país. Dedicado exclusivamente a aves, com uma coleção de cerca de 500 exemplares de 150 espécies diferentes, distribuídas por 80 habitats de cativeiro. De resto, tem uma das mais emblemáticas e representativas coleções de aves da Península Ibérica, espelhando a realidade da Avifauna dos 5 continentes, sendo um dos poucos equipamentos do género na Europa.

Com uma fortíssima dinâmica voltada para o público familiar e escolar, este diferenciador equipamento assume uma transversalidade etária como poucos. O fascínio natural que o público tem pelo conhecimento sobre a vida animal assume-se aqui a par da possibilidade de contactar e vivenciar realidades que se concentram no propósito primeiro do Zoo – Recriar Habitats, Reproduzir Espécies e Reciclar Conhecimentos.

 

PORTO CARVOEIRO

Situado no extremo norte do concelho de Santa Maria da Feira, junto ao Rio Douro, o Porto carvoeiro é, pela sua envolvência de grande beleza natural, um local de lazer e descontração onde se praticam alguns desportos. Regredindo no tempo, até cerca de 1950, imagine-se o Porto de Carvoeiro…era um dos locais com maior dinâmica comercial de Santa Maria da Feira. Os barcos rebelos oriundos do Porto e de Gaia traziam até este porto diversas mercadorias, especialmente alimentos, que eram depois distribuídas por todo o concelho, em carros de bois. No regresso carregavam madeira e carvão.

 

PRAIA FLUVIAL DA MÂMOA

No verão as áreas balnear e de lazer da praia fluvial da Mâmoa, na freguesia de Milheirós de Poiares, recebem dezenas de veraneantes. Inserida no âmbito da reabilitação das zonas ribeirinhas e criação de espaços públicos de lazer em estreita ligação com a natureza, esta infraestrutura tem ao dispor dos utilizadores, duas praias, uma em cada margem, áreas ajardinadas e de lazer, e estacionamento.

Dotada de equipamentos desportivos, infraestruturas de apoio às atividades lúdicas, bar e restaurante, a praia fluvial da Mâmoa tem uma área de cerca de dois hectares, contígua a uma ponte rodoviária sobre o rio Antuã, junto à qual se encontra um pequeno moinho, remodelado.

Esta praia fluvial é uma zona balnear extremamente agradável, com uma boa exposição solar, ideal para quem aprecia os convívios ao ar livre e os desportos de natureza.

 

 

 

---
Fontes e Créditoswww.visitfeira.travel
Facebookvisitfeira
Youtube: visitfeiratv

FESTA DAS FOGACEIRAS

Com rituais que perduram no tempo, a Festa das Fogaceiras é uma das maiores manifestações religiosas do Norte de Portugal e a mais identitária festividade do concelho de Santa Maria da Feira.

As meninas fogaceiras, que transportam a fogaça à cabeça vestidas de branco com faixas coloridas à cintura, cumprindo a promessa feita ao mártir S. Sebastião em 1505, são o ícone desta festa secular. Experiência imperdível é a degustação genuína da Fogaça da Feira, símbolo votivo da Festa das Fogaceiras e ex-libris gastronómico do território.

 

SEMANA SANTA

Utilizando a cidade como palco de recriação dos últimos dias de vida de Jesus Cristo, a Semana Santa aposta no rigor histórico e na diferenciação de conteúdos que, ano após ano, surpreendem residentes e visitantes.

Mais do que um evento religioso, a Semana Santa assume uma forte componente cultural e social, apresentando uma programação inédita, que cruza música, recriações bíblicas e visitas guiadas ao património religioso.
Graças à união de esforços da sociedade civil e eclesiástica, este evento tem conquistado novos e exigentes públicos.

 

IMAGINARIUS

O maior festival de Artes de Rua realizado em Portugal cruza grandes produções internacionais com criações originais, privilegiando a experimentação e a imaginação de artistas e público, incluindo o infantil.

O Imaginarius acontece anualmente em maio, mas a programação não se esgota nos dois dias do festival. Com o Imaginarius 365, Santa Maria da Feira respira Artes de Rua ao longo de todo o ano, afirmando-se como Cidade Criativa.
Membro de uma rede alargada de parceiros mundiais, o Imaginarius é um a referência internacional no circuito de festivais congéneres.

 

VIAGEM MEDIEVAL EM TERRA DE SANTA MARIA

Passaporte para uma viagem única pelas vivências da Idade Média, a Viagem Medieval proporciona uma completa aula de história viva, onde os visitantes também podem ser atores nos grandes momentos de animação e recriação.

Cruzando história, património, animação e gastronomia, a Viagem Medieval oferece produtos turísticos inovadores, como Bilhete Experiência que proporciona experiências exclusivas a quem quer viver o evento de forma mais intensa e sensorial.

Realizado em pleno verão, o maior evento de recriação medieval da Europa estende-se por 12 dias consecutivos, no centro histórico de Santa Maria da Feira.

 

PERLIM - UMA QUINTA DE SONHOS

A magia, a emoção e a fantasia moram em Perlim – Uma Quinta de Sonhos. Com personagens divertidas e coloridas, o maior parque temático de Natal do Norte do País faz sonhar meninos e meninas de todas as idades.

Num espaço natural de rara beleza, onde sobressai o encantado Castelo da Feira, os gémeos Perlim e Pimpim aguardam de braços abertos miúdos e graúdos para celebrar o Natal num mês repleto de animação.
Um abraço bem dado, bem apertado e bem abraçado de todos os habitantes de Perlim.

 

 

 

---
Fontes e Créditoswww.visitfeira.travel
Facebookvisitfeira
Youtube: visitfeiratv

Santa Maria da feira é um lugar cheio de historia e tradições bem presentes.
No entanto, hoje vamo-nos concentrar nas maravilhas gastronómicas que pode encontrar pela região.


A Fogaça
Com um formato arredondado, e quatro bicos que representam os quatro coruchéus da torre de menagem do Castelo, a Fogaça de Santa Maria da Feira é um ícone da doçaria regional e produzida diariamente em várias casas de fabrico do concelho.

Caladinhos
Biscoitos de consistência mole, e com uma forma arredondada e achatada, de ótimo paladar, são também muito procurados .

Queijo de Santa Maria da Feira
Para os amantes de queijos portugueses, sabia que muitos deles são produzidos em Santa Maria da Feira? Cremosos e amanteigados, de textura macia e sabor suave, aliam o sabor à tradição, proporcionando inesquecíveis momentos de degustação, sobretudo quando acompanhados de Fogaça.

Chamoa
Chamoa começou por ser servida como vinho, com uma amora dentro, preferencialmenteàs mulheres, no final das refeições. Hoje encontra-se disponível como licor e vinho. A fama desta bebida propagou-se de tal forma que o seu consumo passou a fazer parte do quotidiano das gentes de Santa Maria da Feira.

 

 

 

---
Fontes e Créditoswww.visitfeira.travel
Facebookvisitfeira
Youtube: visitfeiratv


info
300 €
Family Secrets Santo André
Santa Maria da Feira

info
59 €
Villa Douro
Santa Maria da Feira